sábado, 31 de janeiro de 2009

NOVO SINGLE DA HORDA UNEARTHLY DISPONÍVEL PARA DOWNLOAD - RIO DE JANEIRO - RJ/BRASIL


Segunda-feira dia 02/02 estará disponível para download nos sites www.freemindrecords.com.br e www.unearthly.com.br o single "INCARNATION OF SALVATION" da banda Unearthly.


O single terá 3 músicas que estarão no novo álbum "Age Of Chaos".


quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

INFECTOR - DEATH/GRIND - PRAIA GRANDE - SP/BRASIL


Segue em anexo cartaz da nossa próxima GIG! Em tempo, nosso clipe no youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=vRMfoS9DwFI&


Visitem também nosso myspace:
www.myspace.com/intotheinfector

Abraços


Marcello e Infector

Fonte: Clayton Campos (por e-mail).

ARMED DEATH - GRÉCIA


"Armed Death’’ We Re created in December 1989 in xanthi (hellas- greece ) by Antonis and Zisis .In January’91 George joined us and our form was:

Antonis: bass/vocals, Zisis: guitar and George: drums

With the name ’’Army Of Death’’ we recorded our first demo in October’91 called ’’Army Of Death ’’ , At ’’Rock Sound Studio ’’ in Salonica .our first demo included 1 intro and 3 death-thrash tracks . All the copies of that demo have been sold out .In summer’92 we changed our name to Armed Death and our drummer .In the place of George ,Chris came. Our form is :Antonis: bass/vocals, Zisis: guitar and Chris: drums. We start immediately rehearsals with our new drummer and we put a lot of time and work in our new tracks. In January’93 our second demo is entitled ’’VAUNDOUN’’. We did the recording during the last weeks of 1992 at ’’studio 5’’ in Athens. It is including 3 brutal death metal tracks intro (Vaundoun) and outro. .

After the absence of 12 years the group recreated by the former member Antonis and Zisis our form is :Antonis: bass/vocals/synth, Zisis: guitars/bass and themis: drums and at the march of 2006 we record with the new drummer Themis , one new song’’Ancient souls ’’and the cover of ’’Forest of n’ gai’’from Rotting Christ. The songs recorded and demos re-mastering at studio Nemesis( Kavala)

and together with their previous demos of year 1991 and 1993 they circulate in one cd released from ‘’in metal we Trust records’’ and it be called

‘’return 1991-93...2006...’’

A tape version of the cd "return 1991-93..2006.." is released in july 2007 , by a brazilian goat music records.

In june 2008 we released our new tape titled "ancient soul" by french company maltkross productions.

In november 2008 we release our new tape titled"armed death" by italian black fog productions.

limited edition,only 100 copies.

BAND CONTACT : e-mail : antonis_antonis@yahoo.gr


site: http://armed-death.freehostia.com

MAITHUNGH - DEATH METAL


A banda de Death Metal Maithungh anuncia que já está em fase de finalização da gravação de seu primeiro álbum: Lust in the Kingdom of God, que será lançado pela Free Mind Records no início de 2009. O tão esperado álbum será mixado por Andy Classen (Krisiun, Tankard, etc) no renomado estúdio Stage One.

www.myspace.com/maithunghdeath


para shows e entrevistas: debora@freemindrecords.com.br

FREE MIND PRESS

www.freemindrecords.com.br

VISÃO UNDERGROUND ZINE - BELÉM - PA/BRASIL

LORD FOUL - RAW BLACK METAL - SP/BRASIL


UNBORN - IMPERATRIZ - MA/BRASIL

::: UNBORN NEWS :::

"Dogmas Massacra"
, primeiro cd-demo da banda UNBORN recebe resenha no récem-criado web-zine Recife Metal Law [www.recifemetallaw.com.br].

Confira no link
http://www.recifemetallaw.com.br/index.php?link=materias&id=89

Esta e outras notícias sobre
UNBORN podem ser acessadas no link: http://blogs.myspace.com/index.cfm?fuseaction=blog.ListAll&friendID=109884112

Abraços,


Slanderer

www.myspace.com/unbornbrazil

www.unborn.com.br

Caixa Postal 33, CEP 65903-970
Imperatriz/MA, Brazil - South America



SHOWS NA FOFINHO ROCK CLUBE - JANEIRO E FEVEREIRO DE 2009 - SÃO PAULO - SP/BRASIL


CURSED EXCRUCIATION FANZINE


MANIFESTO ANTI RIP-OFF


Saudações!
Ajudem a divulgar este manifesto, para fortalecer mais nossa cena e acabar com estes oportunistas!


Metal em Curitiba (cena ou circo???)

É incrível como a palavra “underground” vem sendo usada de forma leviana neste país, mas dentre todos os desgostos que já passamos ao enfrentar más condições ao acertar eventos, organizações desleixadas, tocar somente pelo reconhecimento do público e uma pequena divulgação a um determinado local, esta que presenciamos no dia 18/10/2008 (Show do Desaster e bandas de abertura) na cidade de Curitiba, foi a pior e mais desagradável de todas!
Antes de mais nada, deixo claro que não faço parte da banda que irei citar mas tomei a frente desta discussão com total liberdade concedida e aprovada pela mesma, além de razões pessoais.
Meses antes do acontecido, um sujeito chamado Jeison (dizendo ser responsável pela produção) acerta com a banda PSICODEATH (Death Metal oriunda de Londrina, com 18 anos de estrada) e as outras bandas para que fizessem parte das bandas de abertura para o show do DESASTER (Alemanha). As condições eram as seguintes:

- seriam 4 bandas de abertura (AQUERONTE, PSICODEATH, WARRIORS OF METAL e INFERNAL WAR 666)
- as bandas não receberiam cachê algum
- as bandas não receberiam passagens
- as banda “apenas” teriam que se virar pra ir, comer, se locomover na cidade, tocar e voltar. Sim, é tão simples assim que hoje em dia todo mundo organiza shows “undergrounds”.

Mesmo assim, o PSICODEATH com o intuito de tocar e mostrar sua arte à aquela cena novamente e sabendo, onde foi informado que a aparelhagem seria boa para sua apresentção, com cabeçotes “Marshall” e o resto da aparelhagem de primeira linha em cima do palco, (claro que isto tambem foi mais uma calúnia) acharam interessante e aceitaram o convite. Passado isso, a banda me propôs a fazer uma pequena excursão onde os integrantes desta (inclusive eu) pagariam a VAN para que a banda, mais que merecida após 18 anos na cena, não necessitasse pagar pra tocar apenas porquê um amador qualquer acha que uma pequena banda da Alemanha merece ser bajulada e uma banda brasileira tem que se submeter a tais condições para abrir shows. Até então, nada de muito espantoso levando em consideração a desorganização da cena nacional.
Chegamos às 18:00hs em frente ao picadeiro que chamaram de casa de show (HANGAR BAR), onde inclusive o dono da casa nem apareceu no local, sendo que fazia parte da organização(talvez o mais pilantra da noite), então nos deparamos com as portas fechadas e nenhum responsável por lá. O show estava marcado para as 22:00hs, e acredito que 4 horas antes do evento alguém já deveria estar no mínimo preparando a aparelhagem para que alguma banda passasse o som antes das apresentações. Voltamos ao lugar as 21:40hs e o Bar estava aberto, funcionando e vendendo sua cerveja normalmente mas a aparelhagem ainda não havia chegado por completo, um clima de expectativa tomava conta dos que pagaram seus ingressos para ver os alemães e as bandas citadas. Passadas longas três horas e meia de espera, às 2:30hs, levando em consideração a mudança para o horário de verão, tudo foi acertado e começam as apresentações com as bandas WARRIORS OF METAL e AQUERONTE que fazem suas apresentações normalmente, e já após as quatro e trinta da madrugada o PSICODEATH sobe ao palco para sua apresentação, mas sob alguma pressão de horário os integrantes do DESASTER tomam a frente e dizem que agora iriam se apresentar, dando início a uma confusão generalizada, pois a partir disso, ao procurarmos a organização, Jeison já havia inventado a desculpa que não fazia mais parte da produção do evento e que estava ali apenas para dar uma pequena ajuda, procuramos o dono do Túnel do Rock (vulgo Bola, que era realmente o responsável por ter contratado a banda Alemã para o evento), que numa tentativa desesperada de nos conter, pois já estávamos mais do que estressados com a história toda e a demora por uma resposta, se prontificou a ressarcir todas as despesas dos integrantes de nossaVAN, com o fraco argumento de que tinham um nome a zelar e não se queimaria por um “mal entendido”, propuseram ainda que a banda PSICODEATH ainda tocasse após o DESASTER mas o pedido foi negado devido ao tratamento que a banda recebeu desde o início das organizações e principalmente o desfecho lamentável. Ao término das apresentações, com sol raiando há muito tempo, entramos na VAN “Putos da Cara” esperando que as palavras de Bola fossem cumpridas com HONRA, o que não aconteceu. (palavra também muito usada na cena Black Metal de forma leviana).
Para finalizar, há quase três meses, René Warrior (baixista do PSICODEATH) manda e-mails ao intermediário Jeison Metal que envolveu a banda e outros integrantes da cena londrinense nesta pilantragem e o sujeito nem sequer responde, comprovando o quão desonrosos, caloteiros, desorganizados e principalmente incompetentes eles são. Não deixaremos passar em branco esta palhaçada e estou com este texto tentado poupar outras bandas e interessados (pessoas sérias) na Cena Nacional, passar por tais incômodos. Lembrando que os responsáveis por este ato vil e amador foram:

- Bola, (Tunel do Rock) responável pela contratação do evento.
- Rafael, (dono da espelunca chamada HANGAR) responsável pela aparelhagem.
- Jeison Metal, responsavel pela produção do evento.

Essas pessoas fizeram com que o evento virasse uma verdadeira perda de tempo que no máximo 200 pessoas puderam presenciar.
Agradeço profundamente aos integrantes da excursão de Santa Catarina e a banda Battalion que além de tomar nosso partido no momento de toda a confusão foram essenciais para que o show tivesse algum público, pois a cena de Curitiba estava completamente ausente neste evento, e gostaria de ausentar as pessoas da cena curitibana que sabem pessoalmente de nossa camaradagem ao longo dos anos e que não devem se sentir ofendidas com este manifesto (Aqueronte e Warriors of Metal principalmente, pois estavam presentes no dia para contemplar esta lamentável cena). No mais, bando de excrementos humanos que tornaram o evento do dia 18/10/2008 em Curitiba no Hangar Bar numa completa bagunça vergonhosa, se vocês não se preocupam com o nome que “Têm a zelar” nós fazemos questão de mostrar e divulgar quem realmente faz parte do underground e batalha com seriedade para a divulgação da arte e de idéias que não deveriam estar na boca de qualquer um. E definitivamente não RIP-OFFS como os produtores citados acima que pensam o contrário.
Este manifesto não foi divulgado anteriormente porque a banda Psicodeath estava esperando uma resposta dos produtores dizendo que a mesma seria ressarcida pelos problemas causados, o que não aconteceu.

- BOICOTEM ESTES IMPOSTORES, NÃO CONTRIBUAM PARA MAIS UM DECLÍNIO DA CENA BRASILEIRA QUE JÁ TEM PROBLEMAS DEMAIS!!!

- RADICALISMO E SEGREGAÇÃO SÃO NECESSIDADES URGENTES!!!!!!!!
ASS: Malphas, contribuição de Rene Warrior!

VIOLENT RECORDS - "ENDLESS MASSACRE III"

Hail!

A Violent Records continua o processo de seleção dos grupos que irão fazer parte da próxima coletânea do selo, “Endless Massacre III” que será prensada via Sonopress (em Manaus/AM) através da conceituada empresa de assessoria fonográfica MCK (São Paulo/SP). O cd trará 17 participantes da cena extrema e até o momento, 12 grupos foram selecionados. Bandas que tenham interesse em fazer parte deste projeto, escrevam solicitando maiores informações. O cd é feito em forma de cooperativa mútua (selo e bandas), onde cada participante investe uma quantia “X”, recebendo “X” cds que poderão ser repassados com 100% de lucro (preço final de venda à míseros R$ 13,00). Não se trata de um lançamento em CD-R! Os cds serão remetidos às bandas lacrados! O objetivo da coletânea é reunir apenas bandas extremas, ou seja do brutal Thrash Metal ao esporrento Grind/Gore, passando pelo Black e Death Metal. Demais variantes do Metal serão descartadas (inclusive White); a aprovação é dada após análise musical, onde pontos como qualidade de gravação e execução do material são levados em conta (esta coletânea não funciona no esquema “pagou, entrou”).

Abaixo, alguns links com resenhas de lançamentos da Violent Recs.:

"Endless Massacre I" - V/A - http://whiplash.net/materias/cds_users/048540.html

"Insane Deliriums" - Infector - http://www.novometal.com/reviews/ler.php?id=1372

"Endless Massacre II" - V/A - http://www.allthebangers.com.br/albuns/endlessmassacreii.html

"The Dark Angels of Destruction" - Chaosmaster - http://www.thundergodzine.com.br/resenhasdemosletrac.htm

"My Life is a Torture" - Hierarchical Punishment - http://www.cys.mus.br/demos_hp.htm

"Visions World Apart" - Predatory - http://www.metalclube.com/content/view/888/31/

"A Herança é o Ódio" - Repulsão Explícita - http://www.psychosisdeath.com.br/resenhas_resultado.php?busca=a+heranca+e+o+odio

"O Império e a Favela" - Preguh - http://www.thundergodzine.com.br/resenhascdsletrap.htm

"Promo Disaster '07" - Chemical Disaster - http://www.allthebangers.com.br/demos/chemicaldisaster_pd07.html

Espalhe este e-mail!

Abraços

Luiz Carlos

VIOLENT RECORDS
http://www.myspace.com/violentrecs

REPULSÃO EXPLÍCITA
http://www.myspace.com/repulsa

HIERARCHICAL PUNISHMENT
http://www.myspace.com/hierarchicalpunishment

PREDATORY
http://geocities.yahoo.com.br/banda_predatory

CHAOSMASTER
http://www.myspace.com/chaosmasterbr

PREGUH
http://www.myspace.com/preguh

ENTREVISTA À HORDA UNLIGHT DOMAIN - MATANZAS/CUBA

Em Português:

01 – Em primeiro lugar, saudações a todos da horda, que como sei são grandes guerreiros, pois sei que não é nada fácil ter uma horda de Metal em Cuba! Segundo entendi, a horda surgiu em 2005 como um projeto de ex-membros das hordas Puertas Negras e Amenthis, não? Diga-me o que os motivou a criar a Unlight Domain e o que o Metal Negro significa para vocês?
Realmente é difícil não somente criar uma horda de Metal aqui em Cuba, mas também mantê-la. Sim, nós surgimos em 2005 como um projeto de Ivan Leonard (guitar) e Yordanys Pérez (drums, ex-Puertas Negras), os quais estavam muito motivados a criar uma horda Black Metal bem extrema e com as melodias mais frias que saíam de suas entranhas. Logo após se une José Blanco (Vocal), que como Iván não vinha de nenhuma banda, mas que ao ser ouvido impactou bastante, e por último entrei eu, Liúber Sobrino (bass, ex-Amenthis), que ao escutar a proposta de criar uma horda de Black ao estilo norueguês primitivo, gostei muito da idéia. Foi assim que começamos a batalha, motivados por toda a blasfêmia e sentimentos pagãos que podíamos expressar nesta mais obscura vertente do Metal mundial. Creio que o Metal Negro é liberdade, nossa liberdade, é onde pomos pra fora tudo o que temos dentro de nós, nossos mais obscuros sentimentos. Tudo isso nós refletimos em nossa música e nossas letras.

02 – Apenas um mês depois vocês lançaram seu primeiro CD Demo, com o nome da banda, e assim começaram a tocar em vários eventos, além de uma apresentação no programa de TV cubano Cuerda Viva. Diga-nos como foi a aceitação do público e como vai indo até hoje?
Não estou certo, mas creio que o que mais nos ajudou a ter uma aceitação tão boa a nível nacional desde o início foi o fato de haver tido a possibilidade de gravar nosso primeiro Demo antes de fazer a primeira apresentação ao vivo. Quando a Unlight Domain se apresentou pela primeira vez, já tínhamos um respeito muito grande do público, porque o Demo já tinha sido bastante ouvido pelos Headbangers. Naquele tempo, éramos somente uma banda nova a qual já comentavam. Hoje somos muito aclamados entre os Headbangers
de todo o país, o público canta nossos sons em coro e sempre estão na expectativa do novo material a sair. Isso nos comove muito, o fato de saber que cada vez é maior a quantidade de pessoas sedentas por blasfêmia e anti-cristianismo aqui em nosso país.

03 – Diga-nos como é a cena Hellbanger em sua região e diga também como é em relação a Shows, produtores de eventos, estúdios, lugares pra eventos, etc. Recebem algum apoio do governos ou prefeitura?
Não creio que o problema seja do governo, mas mais dos representantes do governo em cada região. Por exemplo: Existem lugares de Cuba nos quais são organizados bastantes Shows e outros eventos apesar da carência de recursos, e pelo contrário em outras províncias (Como Matanzas, que é de onde somos) com um pouco mais de recursos, os dirigentes apóiam menos a cena. Deve-se destacar também que na capital de Cuba foi criada uma Agência de Rock e um Teatro exclusivamente para o Rock (creio que deveria chamar-se Metal), que ainda que tenha um sistema de funcionamento um tanto raro, é algo melhor que nada, que é o que tínhamos até um ano atrás.

04 – Em Agosto de 2006 sai o seu 2º material, “Shadows, Blood and the Unholy One”, que na minha opinião, é um dos melhores material de Black Metal que já ouvi! Com uma gravação bem profissional e uma sonoridade cheia de sentimento e fúria! Qual é a temática abordada neste material e em geral abordada pela horda?
Shadows, Blood and the Unholy One saiu em Agosto de 2007 e foi um passo adiante desde o ponto de vista musical e de produção com relação ao demo “Unlight Domain”. Deste, temas como “Mordor’s Dark Forces”, “Emperor Satan” e “Three Moons” passaram à lista de nossos clássicos. A temática abordada continua aqui com o culto a Satanás e lendas baseadas na obra de J.R.R. Tolkien.

05 – O que Satanás e o conceito do real Satanismo significa para vocês?
Satanás é liberdade, rebeldia, prazer eterno, é desfrutar da vida, renegar o cristianismo, viver sem medo dos pecados e a nada que queira nos atar mentalmente ou nos aterrorizar. É poder absoluto de teu corpo e mente, é força e não debilidade, é liberdade e não submissão.

06 – Notei uma grande influência de hordas do norte da Europa, tais como Emperor, o antigo Mayhem e outras da mesma época no som da Unlight Domain. Como vêem a cena européia e mundial dos anos 90 e agora nos dias de hoje? Qual é sua opinião sobre as antigas bandas que mudaram seu som e ideologia, mesclando elementos eletrônicos e contratando posers cristãos (como Hellhammer, do Mayhem, que gravou com a merda Antestor) para fazer apresentações e gravações? Como acreditam que poderíamos aniquilar esses posers e falsos de merda infiltrados na cena Extrema mundial?
Não somente no norte da Europa passaram coisas com a cena Black. É certo que muitas bandas se deixam influenciar pelo comercialismo e fazem o que seja para vender um pouco mais, mas há outras, que são as quais me enfoco, que não abandonam seus princípios. Lãs que abandonam é uma pena, não creio que se possa mudar isso. Em meu caso particular, quando deixo de gostar de uma banda, simplesmente não a escuto.

07 – Pelo que entendi, vocês têm um selo chamado SUPREMACY RECORDS, não? Diga se é um selo que trabalha com outras hordas ou é somente dedicado à gravação e lançamento de materiais da Unlight Domain, e se trabalha com outras hordas, diga algo sobre, como com quais projetos trabalharam ou trabalham no momento e se o selo também divulga hordas internacionais, e como os interessados podem enviar seus materiais, contatos, etc...?
Bom, SUPREMACY RECORDS por agora somente trabalhou com a Unlight Domain, ainda que tenhamos pensado em produzir Demos de algumas outras bandas que têm pouca possibilidade de grvar seu material. Não temos a força de um selo, somos somente um estúdio de gravação, mas com as melhores intenções de ajudar às bandas de Metal que necessitem.

08 – Quanto a rádios, programas de TV que apóiam, Zines... como é em sua região? Crêem que os meios de divulgação dão conta do suporte às bandas ou ainda precisam melhorar? Já me disseram que há uma espécie de regionalismo em Cuba, onde a maioria do apoio só chega às bandas de Havana, realmente é assim?
Existe algo chamado fanatismo geográfico e que desgraçadamente o que passa ficastes sabendo. É certo que as bandas de Havana tenham melhores oportunidades, mas também sou da opinião de que ninguém deve sentar e esperar. Há que lutar e lutar duro se deseja realmente que uma banda siga adiante.

09 – Como é a relação entre a cena cubana com as cenas de outras ilhas do Caribe? Poderiam nos indicar algumas boas hordas e seus respectivos países para que conheçamos mais nesta região? Particularmente conheço algo da cena da Rep. Dominicana e Trinidad & Tobago, além de Curaçao e Aruba, mas não consegui encontrar mais nada em outros países da região.
Pra ser sincero, você tem mais conhecimento que eu sobre as bandas do Caribe. Eu só conheço, e muito pouco, algumas do México, Chile e Brasil, no caso de bandas Latino-Americanas. Aqui entra muita música européia, e além do mais, muito poucos têm acesso à Internet, que seria uma das fontes de entrada de conhecimento (referindo-me ao Metal caribenho).

10 – Como sempre pergunto à todos a quem entrevisto, conhecem alguma banda brasileira, tanto das mais conhecidas como das mais underground, antigas ou atuais? Qual é sua opinião sobre o movimento banger Sul-Americano dos anos 80 e 90 e quais as bandas que mais respeitam e apóiam, e por quê? O que acham que este movimento significou para o Metal mundial desde então até hoje?
É claro, seguramente a todos a quem fazes esta pergunta começam pelo Sepultura, hehehe... esta foi ao meu entender a banda que girou os olhos do mundo até o Brasil, depois Soulfly, Krisiun. O que me diz da Neverchrist? Hehehe... bem, agora os conheço.

11 – Indique-nos algumas bandas e hordas que conheçam e respeitem, além de alguns Zines e Webzines, pra que os leitores brasileiros e de outros países conheçam algo mais da cena underground cubana.
Em cuba há muitíssimas bandas de Metal. Dentro das mais conhecidas estão: Zeus, Combat Noise, Hipnosis, Escape, Ancestor, Mephisto, Dana, Demencia, etc... Dentro dos fanzines: Scriptorium e El Punto Ge (São os mais difundidos). Turbulência, Spirit Blood Spiritus, Polilla em la Sombra, etc..

12 – Recentemente vocês lançaram um material chamado “Descensus Averni” (Descendo ao Inferno, em latim), composto por 9 sons y uma excelente apresentação gráfica, com fotos e encarte com as letras, lançado de forma independente por seu já mencionado selo SUPREMACY RECORDS. Diga qual foi o conceito lírico abordado neste material e como está sendo a aceitação do mesmo na cena em geral?
“Descensus Averni” é sem dúvida nossa obra mais completa até agora. Tem sido para nós o melhor que temos conseguido quanto a produção, desenho gráfico, amadurecimento musical, e está dando muito o que falar por aqui. Aos bangers tem fascinado assim como a nós, realmente estamos bem satisfeitos com nosso último trabalho. Quanto às líricas, nos mantemos na mesma linha que no começo, tirando do fundo de nossa alma nossa filosofia obscura e dando-a a conhecer ao mundo.

13 – Receberam proposta de algum selo internacional pra lançar seus materiais? Alguma proposta para tocar fora de Cuba?
Até o momento não temos nenhuma proposta formal de nada do exterior. Seria genial poder fazer alguma apresentação em qualquer outro país e mostrar que Cuba não é só uma ilha de Salsa e Merengue, que aqui também existe o Metal Extremo.

14 – De todas as bandas com as quais tocaram, quais são as que vocês mais respeitam e por quê? Qual foi e como foi a melhor e a pior apresentação que fizeram, seja por equipamentos ou qualquer outro problema? Onde foi e quando foi?
Nós tocamos com muitíssimas bandas de todo o país e respeitamos a todas porque sabemos bem o imenso esforço que devem realizar para conseguir cada uma das apresentações. Agora, desde o ponto de vista de amizade, fraternidade, não há dúvidas de que nossa banda irmã é o Combat Noise.

15 – Há vontade da parte da banda em algum dia se apresentar pela América do Sul, e logicamente, no Brasil? Seria genial poder ver de perto uma verdadeira horda cubana por aqui!!
Para nós seria uma imensa honra se pudéssemos tocar no Brasil ou em qualquer outro lugar da América, mas por agora estou certo de que isso não passará de ser um sonho distante.

16 – Quais são os futuros planos da horda, quanto a lançamentos, eventos, etc.?
No momento, os únicos planos que temos são continuar participando nos festivais nacionais de Metal que são realizados aqui, começar a preparar os temas para o próximo material e seguir promocionando para ver se algum dia podemos chegar um pouco mais à frente.

17 – Obrigado pelo tempo e paciência cedido a nós para esta entrevista!! Algo que queiram dizer a nossos leitores, do Obscure Compromise Blogzine e Underground Metal Brasil Webzine, o espaço é de vocês! Esperamos que um dia possam vir aqui pra chaparmos alguns copos de bom álcool hehehe!! Saibam que desde já são bem-vindos ao Brasil!!
Muito obrigado a vocês por dar-nos a oportunidade de conhecer essa terra tão Banger, algo do qual estamos muito orgulhosos. Tomara que possamos dar-lhes uma grande apresentação algum dia, sério que a desfrutaremos muito!!
“Que arda a cruz de Cristo em nome de Satanás”
Contato: liubersobrino@tucorreoya.com
Tel:. +53 45 61 7237 (Liúber)
+53 45 28 7296 (Aramis representante)
+53 45 24 2987 (Iván)

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
En Español:

01 – En primer lugar, un saludo a todos de la horda, que como sé son muy guerreros, pues sé que no es nada fácil seguir con una horda de Metal allá en Cuba! Según tengo entendido, la horda ha surgido en 2005 como un proyecto de ex - miembros de las bandas Puertas Negras y Amenthis, no? Dime lo que los motivó a crear Unlight Domain y lo que el Metal Negro significa para ustedes?
Realmente es difícil no solo crear una banda de metal aquí en Cuba sino mantenerla. Sí, nosotros surgimos en 2005 como un proyecto de Iván Leonard (guit) y de Yordanys Pérez (drum ex Puertas Negras), los cuales estaban muy motivados a crear una banda de Black Metal bien extrema y con las melodías más frías que salieran de sus entrañas. Luego se une José Blanco (vocal) que al igual que Iván no provenía de ninguna otra banda, pero que al audicionar impactó bastante, y por último entré yo Liúber Sobrino (bass ex Amenthis), que al escuchar la propuesta de crear una banda de Black al estilo noruego primitivo me encantó la idea. Así fue como emprendimos la lucha, motivados por toda la blasfemia y sentimientos paganos que podíamos expresar en esta, la más oscura vertiente del metal mundial. Creo que el metal negro es libertad, nuestra libertad, es donde sacamos todo lo que llevamos por dentro, nuestros más oscuros sentimientos. Todo eso lo reflejamos en nuestra música y nuestras letras.

02 – Apenas un mes después ustedes lanzaron su primer Demo, con el nombre de la banda y así empiezan a tocar en varios conciertos, además de una presentación en el programa de TV cubano Cuerda Viva. Dínos como era la aceptación del público y como se va indo hasta hoy?
No estoy seguro, pero creo que lo que más nos ayudó a tener una aceptación tan buena a escala nacional desde nuestros inicios, fue el haber tenido la posibilidad de grabar nuestro primer demo antes de hacer el debut en directo. Cuando Unlight Domain se presentó por primera vez ya teníamos un respaldo muy bueno del público porque el demo se había escuchado bastante entre los metaleros. En aquel tiempo éramos solo la banda nueva de la que se comentaba, hoy somos muy aclamados entre los metaleros de todo el país, el público canta a coro nuestros temas y siempre están a la espectativa de lo nuevo por salir. Eso realmente nos conmueve mucho, el saber que cada ves son más las personas sedientas de blasfemia y anticristianismo aquí en nuestro país.

03 – Dínos como es la escena hellbanger en su región y dínos también como la es en cuanto a conciertos, productores de eventos, studios, lugares pa conciertos, etc.? Reciben algún apoyo del gobierno o de la municipalidad?
No creo que sea problema del gobierno sino más bien de los representantes del gobierno en cada región, por ejemplo: existen lugares de Cuba en los que se organizan bastantes conciertos y otros eventos a pesar de la carencia de recursos, y por el contrario en otras provincias (como Matanzas que es de donde somos Unlight Domain) con un poco más de recursos, los dirigentes apoyan menos la escena metalera. Hay que destacar también que en la capital de Cuba se ha creado una agencia de rock y un teatro exclusivamente para rock (creo que debiera llamarse metal), que aunque tiene un sistema de funcionamiento un poco raro... algo es mejor que nada, que es lo que teníamos hasta hace un año.

04 – El agosto de 2006 sale su 2do. Material, "Shadows, Blood and the Unholy One", que en mi opinión, es un de los mejores materiales de Black Metal que ya he oído! Con una grabación bien profesional y un sonido lleno de sentimiento y furia! Cual es la temática abordada en el y en general abordada por la horda?
Shadows, Blood & the Unholyone salió en agosto de 2007 y fue un paso adelante desde el punto de vista musical y de producción con relación al demo "Unlight Domain". De este, temas como "Mordor´s Dark Forces", "Emperor Satan" y "Three Moons" pasaron a la lista de nuestros clásicos. La temática abordada continúa aquí con el culto a Satanás y leyendas basadas en la obra de J.R.R Tolkien.

05 – Lo que Satanás y el concepto del real Satanismo significa para ustedes?

Satanás es libertad, rebeldía, placer eterno, es disfrutar la vida, rechazar el cristianismo, vivir sin miedo a los pecados y a nada que quiera atarnos mentalmente o atemorizarnos. Es poder absoluto de tu cuerpo y mente, es fueza y no debilidad, es libertad y no sumisión.

06 – He notado gran influencia de hordas del norte de Europa, tales como Emperor, el antiguo Mayhem y otras de la misma época en el sonido de Unlight Domain. Como ves a la escena europea y mundial de los años 90 y de ahora en los días de hoy? Cual es tu opinión acerca de las antiguas bandas que cambiaron su sonido y ideología, mezclando electrónico en el sonido y contratando mierdas cristianos (como Hellhammer, de Mayhem, que grabó con la mierda Antestor) para hacer conciertos y grabaciones? Como crees que podríamos aniquilar a esos poseros y falsos de mierda infiltrados en la escena Extrema mundial?
No solo en el norte de europa han pasado cosas con la escena Black. Es cierto que muchas bandas se dejan influenciar por el comercialismo y hacen lo que sea para vender un poco más, pero hay otras, que son en las que yo me enfoco, que no abandonan sus principios, las que se salen es una pena, no creo que se pueda cambiar eso. En mi caso particular, cuando una banda deja de gustarme, simplemente no la escucho.

07 – Oye, he entendido que tienes un sello llamado SUPREMACY RECORDS, no? Dime si es un sello que trabaja con otras hordas o solo es dedicado a grabación y lanzamiento de materiales de Unlight Domain, y si trabaja con otras hordas, dime algo acerca, como con cuales proyectos ha trabajado o trabajas en el momento y si el sello divulga también hordas internacionales, y como los interesados pueden enviar sus materiales, contactos, etc...?
Bueno, SUPREMACY RECORDS por ahora sólo ha trabajado con Unlight Domain aunque tenemos pensado producir los demos de algunas otras bandas que tienen pocas posibilidades para grabar su material. No tenemos la fuerza de un sello, sólo somos un estudio de grabación pero con los mejores deseos de ayudar a las bandas de metal que lo necesiten.

08 – En cuanto a radios, programas televisivos que apoyan, Zines… como es en tu región? Crees que los medios de divulgación dan cuenta del soporte a las hordas o todavía precisan mejorar? Ya me dijeron que hay una especie de regionalismo allá en Cuba, donde la mayoría del apoyo solo llega a las hordas habaneras, realmente es así?
Existe algo llamado fatalismo geográfico y que desgraciadamente al que le tocó le tocó. Es cierto que las bandas de ciudad de la Habana tienen mejores oportunidades, pero también soy de la opinión de que nadie puede sentarse a esperar, hay que luchar y luchar duro si se desea que realmente una banda salga adelante.

09 – Como es la relación entre la escena Cubana con las escenas de otras islas del Caribe? Pueden indicarnos algunas buenas hordas y sus respectivos países pa que conozcamos más en esta zona? Particularmente conozco algo de la escena de la Rep. Dominicana y Trinidad & Tobago, además de Curaçao y Aruba, pero no he conseguido encontrar más nada en otros países de la región.
Para ser sincero, tú tienes más conocimiento que yo sobre las bandas del Caribe. Yo solo conozco, y muy poco, sobre algunas de Mexico, Chile y de Brasil en el caso de bandas latinoamericanas. Aquí entra mucha música europea, y además muy pocos tienen acceso a internet que sería una de las fuentes de entrada de conocimiento (refiriéndome al metal caribeño).


10 – Como siempre pregunto a todos a quien entrevisto, conoces alguna banda brasileña, tanto de las más conocidas como de las más underground, antiguas o actuales? Cual es tu opinión acerca del movimiento banger Sudamericano de los 80 y 90 y cuáles las bandas que más respectas y apoyas, y por qué? Qué piensas que este movimiento significó para el Metal mundial desde entonces hasta hoy?
Por supuesto, seguro todo el que le haces esa pregunta comienza por Sepultura, he,he,he...esa fue a mi entender la banda que giró los ojos del mundo hacia Brasil, después Soulfly, Krisiun. Qué me dices de Neverchrist? he,he,he... bueno ahora los conozco.

11 – Indícanos algunas bandas y hordas que conozcan y respeten, además de algunos Zines y Webzines, pa que los lectores brasileños y de otros países conozcan algo a más de la escena under Cubana.
En Cuba hay muchísimas bandas de Metal. Dentro de las más conocidas están: Zeus, Combat Noise, Hipnosis, Escape, Ancestor, Mephisto, Dana, Demencia, etc... Dentro de los fanzines: Scriptorium y El Punto G (que son los más difundidos), Turbulencia, Spirit Blood Spíritus, Polilla en la Sombra, etc..

12 – Recientemente ustedes lanzaron un material llamado "Descensus Averni" (Descendo al Infierno, en latín), compuesto de 9 sonidos y una muy buena presentación gráfica, con fotos y encarte con líricas, lanzado de forma independiente por su ya mencionado sello SUPREMACY RECORDS. Dínos cual fue el concepto lírico abordado en este material y como va siendo la aceptación de el en la escena en general?
"Descensus Averni" es sin dudas nuestra obra más completa hasta ahora. Ha sido para nosotros lo mejor que hemos logrado en cuanto a producción, diseño gráfico, madurez musical, y está dando mucho de que hablar por aquí, a los metaleros les ha fascinado al igual que a nosotros, realmente estamos muy contentos con nuestro último trabajo. En cuanto a las líricas, nos mantenemos en la misma línea que al principio, sacando desde el fondo nuestra filosofía oscura y dándola a conocer al mundo.

13 – Han recibido propuesta de algún sello internacional pa lanzar sus materiales? Alguna propuesta pa tocar afuera de Cuba?
Hasta este momento no tenemos ninguna propuesta formal de nada del exterior. Sería genial el poder dar algún concierto en cualquier otro país y demostrar que Cuba no es sólo una Isla de salsa y merengue, que aquí también se consume metal extremo.

14 – De todas las bandas con que han tocado, cuáles son las que ustedes más respetan y por qué? Cual fue y como les fue la mejor y la peor presentación que hicieron, sea por equipamientos o cualquier otro problema? Dónde y cuando fue?
Nosotros hemos tocado con muchas bandas de este país y a todas las respetamos porque sabemos bien el esfuerzo tan grande que deben realizar para lograr cada una de las presentaciones. Ahora, desde el punto de vista de amistad, fraternidad no hay dudas de que es Combat Noise nuetra banda hermana.

15 – Hay ganas de la parte de la banda en algún día presentarse por Sudamérica y por supuesto en Brasil? Sería genial poder ver de pierto una verdadera horda Cubana por aquí!!
Para nosotros sería un honor grandísimo si pudiéramos tocar en Brasil o en cualquier otro lugar de América, pero por ahora estoy seguro de que eso no pasará de ser un sueño lejano.

16 – Cuáles son los planes futuros de la horda, en cuanto a lanzamientos, eventos, etc..?
Por ahora los únicos planes que tenemos son continuar participando en los festivales nacionales de metal que se realizan en el país, comenzar a preparar los temas para el próximo material y seguir promocionando para ver si algún día podemos llegar un poco más allá.

17 – Gracias por el tiempo y paciencia cedido a nosotros para esta entrevista!! Algo que quieran decir a nuestros lectores, del Obscure Compromise Blogzine y Undeground Metal Brasil Webzine, el espacio es de ustedes! Esperamos que un día puedan venir aquí pa compartirnos algunas copas de buen alcohol jejeje!! Sepan desde ya que son bienvenidos a Brasil!!
Muchas gracias a ustedes por brindarnos la oportunidad de darnos a conocer en esa tierra tan metalera, algo de lo que estamos muy orgullosos. Ojalá podamos darles un conciertazo algún día, de verdad que lo disfrutaremos mucho.
"Que arda la cruz de Cristo en el nombre de Satanás"
Contacto: liubersobrino@tucorreoya.com
Telef. +53 45 61 7237 (Liúber)
+53 45 28 7296 (Aramis representante)
+53 45 24 2987 (Iván)


terça-feira, 27 de janeiro de 2009

UNLIGHT DOMAIN - VARADERO - MATANZAS/CUBA



Em Português:


Unlight Domain surge como um projeto em Maio-Junho de 2005, baseado numa idéia de Ivan Leonard (Guitarra) e Jordany (Bateria), depois de algumas tentativas sem muitos resultados com o Avernia. Mesmo assim quando se acredita, as idéias nunca perecem e assim surge a Unlight Domain, com a incorporação de José Blanco (Vocal) e fomos gravar um Mini-Demo com os 2 sons que tínhamos até esse momento com essa formação José (Vocal), Ivan (Guitarra e Baixo) e Jordany (Bateria).

Mesmo que isso tenha nos satisfeito naquele momento, nosso objetivo era converter a Unlight Domain em uma horda de Black Metal, tocar ao vivo, dividir palco com as bandas de Metal de toda Cuba, e é então que Liuber (Baixo) se une a nós, vindo da banda Amentis. Desta maneira, passamos de ser um projeto de estúdio a uma horda e com essa nova formação gravamos 4 novos temas e saiu nosso primeiro Demo (24/07/2005) que também incluía os dois sons gravados anteriormente. Este trabalho, auto-intitulado, contava com 6 sons, os quais foram promocionados em vários lugares de Cuba, pelo qual ficamos bastante satisfeitos. Nosso primeiro Show foi em Cienfuegos (03/08/2005), onde dividimos palco com Feedback e Dana, e fomos muito bem acolhidos pelo público. Depois de algumas apresentações na província, gravamos no programa de TV Cuerda Viva, onde tivemos 2 nominações e tocamos no Festival do programa. Tocamos tbm no Fest Revolución, da província de Havana, no Festival Atenas 2006, entre outras apresentações. Em 2006, a horda grava seu segundo material “Shadows, Blood and the Unholy One”, com novos temas como: "From The Shadows", "Three Moons" e "Mordor´s Dark Forces", "Emperor Satan" & "Lucifer, save me from this Christian World", tendo uma ótima aceitação do público mais uma vez. O mais recente trabalho da horda é o CD “Descensus Averni”, gravado no Home Studio da horda e lançado por seu selo SUPREMACY RECORDS. O trabalho conta com 9 sons, ótima produção, tanto gráfica quanto sonora, o qual esperamos ansiosamente pela chegada para poder resenhar aqui neste Blog e no site www.umbrasil.com A formação permanece a mesma e a banda espera mantê-la.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

En Español:


Unlight Domain surge como un proyecto en Mayo-Junio del 2005 basado en una idea de Iván Leonard (Guitar) & Jordany (Drum), después de algunos intentos sin muchos resultados como Avernia. Sin embargo cuando se lleva bien adentro, las ideas nunca perecen y asi surge Unlight Domain con la incorporacion de José Blanco (Vocal) y nos lanzamos a grabar un mini Demo con los dos temas que teniamos hasta ese momento con ese formato; Jose(Vocal), Iván (Guitar & Bass) y Jordany (Drum).

Aunque esto nos complació bastante en ese momento, nuestro objetivo era lograr convertir a Unlight Domain en una banda de Black Metal, tocar en vivo y compartir escenario con las bandas de metal de todo el pais; y es entonces cuando se nos une Liuber(Bass) procedente de Amentis. De esta manera pasamos de ser un proyecto de estudio a una banda y con este nuevo formato grabamos 4 nuevos temas y salio nuestro primer Demo(24/Julio/2005) que recogia además los dos temas grabados anteriormente. Este trabajo, bajo el mismo nombre de la banda, contaba con 6 temas los cuales fueron promovidos en varios lugares del pais por lo cual hemos quedado bastante complacidos. Nuestro debut en vivo fue en Cienfuegos (3-Agosto-2005) donde compartimos escenario con Feed Back & Dana y fuimos muy bien acogidos por el publico. Después de algunas presentaciones en la Provincia grabamos en el programa de TV Cuerda Viva donde obtuvimos dos nominaciones y tocamos en el Fest. del programa. Hemos tocado además en el Fest. Revolución de Prov. Habana, en el Festival Atenas 2006, entre otras presentaciones. Em el 2006, la banda graba su segundo material “Shadows, Blood and the Unholy One”, com nuevos temas como "From The Shadows", "Three Moons" e "Mordor´s Dark Forces", "Emperor Satan" & "Lucifer, save me from this Christian World", teniendo uma óptima aceptación más uma vez. Lo más reciente trabajo de la horda es el CD “Descensus Averni”, grabado em su home studio y lanzado por su sello SUPREMACY RECORDS. El trabajo cuenta com 9 temas, óptima producción tanto sonora cuanto gráfica, lo cual esperamos ansiosamente que llegue a Brasil pa poder reseñarlos. La alienación permanece la misma y esperan mantenerla.

www.myspace.com/unlightdomain
liubersobrino@tucorreoya.com